A fila

Fila supermercado

– Boa noite –  Disse a senhorinha atrás de mim na fila do supermercado.

– Boa noite –  Abri um sorriso amarelo e dei passagem para que ela passasse. A senhora portava uma cesta com dezenas de legumes, biscoito integral e chá. Tentei esconder a impaciência de esperar mais um pouco por ter cedido a vez.

– Obrigada! – Ela falou dando um sorriso.

Levantei os olhos do celular que estava na minha mão, olhei para ela e assenti com um sorriso. Tomei um susto! O rosto da senhora era o da minha falecida mãe. Franzi a testa novamente e agora pude ver um rosto muito parecido. Ela não pareceu notar meu espanto. – Por nada – Balbuciei ainda olhando para aqueles familiares olhos castanhos.

– Você se parece muito com um filho que perdi – Ela puxou assunto enquanto descarregava os alimentos sobre a esteira rolante do caixa. – Mas já faz tempo. Ele faleceu muito novo. Mas tinha o seu porte.

Abri a boca e fechei sem dizer uma palavra. Estava pasmado com aquela situação. Será que em algum universo uma mãe tinha perdido um filho e um filho havia perdido uma mãe e eles se encontraram em corpos diferentes numa fila de supermercado?

Ela me olhou aguardando uma resposta. Eu falei apenas: – Seu filho devia ser um cara legal – Minha vontade nesse momento era de dar um abraço apertado e dizer em prantos como eu estava com saudades da minha mãe.

Minha distração foi interrompida pelo bipe dos itens passando no caixa. Já estava no último. A senhora estendeu uma nota de cinquenta, recebeu umas moedas e se virou para mim: – Sua mãe está orgulhosa de você! Ela também sente saudades, fique tranquilo que ela está bem.

Engoli em seco ainda processando aquelas palavras. Olhei sobre o ombro para me certificar que ela falava comigo. Senti uma vertigem repentina e me apoiei no carrinho de compras.

– Moço? O senhor está bem? – A caixa do supermercado olhava para mim assustada. – S, Sim, sim – Respondi sem muita confiança.

Ao olhar para frente não vi mais a senhora, ela já havia partido.

– Moça, você viu para onde aquela senhora foi?

– Que senhora? – A Caixa me olhou atônita.

– A senhora que acabou de pagar as compras, a que eu deixei passar na minha frente.

– Não senhor, na sua frente estava um casal. Já fazia um minuto que eu chamo o senhor, mas o senhor parecia hipnotizado. O senhor está bem mesmo?

 

Garoto Perdido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge