Quando você se foi…

   Ainda estou tentando entender por que você se foi. Quando me deito, o teto do meu quarto vira uma tela. Naquela imensa parede de concreto assisto novamente a nossa história. Revejo todas as lembranças boas. Vejo os sorrisos, os presentes trocados, as carícias debaixo dos lençóis. Pra aumentar meu descontento, nessas horas só lembramos dos momentos bons. Era só uma coisa boba. Não sei. Deixo rolar, não sei se é real ou foi só sonho tudo que aconteceu. Não sei se algumas partes da nossa história minha imaginação deu o seu toque positivo. Me lembro de você dizer que a vida é muito curta para se arrepender. Me lembro dos nossos planos. Como a gente era tolo. Planejamos viagens, compramos passagens, pensamos em nome de filho…

   Concluo que essas lembranças não me fazem bem. Acendo a luz para que você vá embora com um fantasma. Perco o meu sono, perco meus horários, luto para não perder meu juízo. Troco as fotos do criado mudo, jogo fora suas cartas e fotos. Perdoo o que poderia ser perdoado. Tudo que ficou ainda mexe comigo. Te bloqueio nas minhas redes sociais, bloqueio os amigos em comum também. Não quero nada que lembre seu sorriso absurdo. Tenho vontade de te debloquear para ver a última vez que você ficou online. Exorcizo esse pensamento insano da minha cabeça. Por mim eu ficaria, mas vê como tudo mudou?

   A campainha toca, acho que ouvi sua voz. Com uma felicidade instantânea, desço as escadas correndo para abrir o portão. Era um entrega. Poderia ter sido você…

 

Garoto Perdido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge