Sobre Mim

  Nasci em Fortaleza CE, terra banhada pelo sol o ano todo e por um imenso mar lindo e verde. E foi nesses verdes mares que desde pequeno aprendi a amar histórias. Comecei consumindo filmes e desenhos animados. Ainda pequeno reproduzia minhas próprias histórias com meus comandos em ação e Playmobil.  Na juventude, comecei a jogar RPG, passei a criar histórias e compartilha-las com outros assim como ouvir histórias dos outros jogadores.

  Na minha adolescência para fase adulta descobri os livros. Fiquei fascinado com as histórias investigativas de Sherlock Holmes. Depois transitei em outros gêneros até descobrir o suspense. Gostei muito de Paulo Coelho e Augusto Cury quando comecei a ler coisas nacionais. Leio todos os tipos de gêneros, o que sempre me importou foram as histórias.  De tanto ouvir histórias comecei a escrever em cadernos só para mim as minhas. Depois me arrisquei em escrever na descrição do Orkut, cartas para as namoradas etc.

  Adulto, segui carreira na informática. Em uma quinta-feira, numa aula de Interface homem máquina, mais precisamente no dia 16 de agosto de 2007 meu professor pediu para criarmos um blog. Foi quando o destino (se é que existe) me impulsionou a escrever para o mundo ver. Talvez o mundo não tenha visto, mas estava lá, disponível. Então aproveitei meu blog para postar meus textos e histórias. Gostei daquilo. Embora não tivesse bom como eu desejei, eu encontrei um espaço onde podia colocar tudo o que eu guardava só para mim. Alguns amigos e conhecidos comentavam, criticavam e elogiavam. Isso me fez não desistir. Depois não liguei mais pra críticas, acho que comecei a escrever para mim. Foi quando tive a ideia de colocar um pseudônimo. Então criei o “Garoto Perdido” que assina todos os meus textos hoje em dia. Quando li Peter Pan, vi que esse era o nome da trupe que andava com ele, eram os garotos perdidos. Pensei que era ideal para mim. Pois gostaria de não envelhecer, viver na Terra do Nunca cheio de piratas e aventuras onde eu poderia me alimentar somente usando a imaginação.

  Em 2016 continuei seguindo na área de tecnologia e gestão (coisas que amo), mas não deixei esse lado morrer, embora ele tenha perdido um pouco o fôlego. Resolvi então deixar o blog mais profissional. Pagar um domínio, reescrever os textos antigos e me dar um prazo mais tranquilo de frequência de posts. Antigamente me policiava para escrever um texto toda semana. Mas agora escrevo de mês em mês, na maciota. De forma madura, revisando mais vezes. Também casei neste mesmo ano, o que de uma certa forma me obrigou a dividir com ela esse tempo livre que eu já dividia com outras atividades. Mas ensinei minha esposa a gostar de histórias. Ela virou minha companheira de seriados e filmes, coisa que quando solteiro eu dividia com os amigos. Sempre gostei de assistir filme com alguém que eu pudesse comentar.

    Você pode se perguntar porque escrevo. Talvez ache que seja um hobby. Na verdade, escrevo porque me dá prazer, porque de tanto ouvir histórias fiquei com vontade de contar as minhas, escrevo porque gosto de criar, escrevo porque tenho fome de escrever!

Garoto Perdido